Por que o Deep Learning funciona?

O artigo do link a seguir é interessante.

As redes neurais do mundo atual evoluíram tremendamente, ao ponto de conseguir reconhecer padrões. Porém, ainda são completamente ineficientes (comparada ao cérebro humano).

Imagino que há ainda muito campo a evoluir. Será necessário repensar os métodos e definições das redes atuais, para dar um novo salto.

https://www.psychologytoday.com/us/blog/the-future-brain/202008/new-ai-study-may-explain-why-deep-learning-works

Enganar carro autônomo

Uma vez que conhecemos o algoritmo que guia uma tecnologia, é possível criar formas de enganar a mesma.

Esta notícia mostra uma forma de enganar um carro autônomo.

A chave é o lidar, uma espécie de raio laser que faz o mapeamento do que ocorre ao redor do veículo. Os hackers colocaram um laser de baixa potência, que confundiu o (caríssimo) lidar do carro autônomo.

Potencialmente é uma falha importante. Um incidente pequeno com carros autônomos pode fazer a confianças nesses cair por terra.

https://oglobo.globo.com/economia/carros/hackers-podem-enganar-radar-de-carros-autonomos-com-dispositivo-de-us-60-17469683

Inteligência artificial descobre novo tipo de antibiótico

Matéria da Superinteressante, sobre a descoberta de uma nova substância como antibiótico.

O que me interessa aqui é a parte do algoritmo.

O algoritmo recebe como input uma base de dados com características atômicas e moleculares de quase 2,5 mil medicamentos e compostos naturais. Junto a isso, estavam informações se essas substâncias impediam ou não o crescimento da bactéria E. coli, espécie de bactéria.

Com essas informações, a IA entendia quais características moleculares produziam bons antibióticos. Então, o algoritmo foi apresentado a uma biblioteca com mais de seis mil compostos, todos estudados para tratamento de saúde humana. Nessa hora, ela deveria cruzar as informações, não só identificando aqueles que eram eficazes, mas também os que eram diferentes dos antibióticos já existentes. Depois de algumas horas, alguns compostos se apresentaram como antibióticos “ideais” – a inédita halicina estava nessa lista.

https://super.abril.com.br/saude/inteligencia-artificial-descobre-novo-tipo-de-antibiotico